Arquitetura Cósmica - Apresentação

Imprimir

Ponto de Inflexão

Ao terminar a leitura do livro anterior do autor, o volume intitulado Ícaro Redimido, fiquei maravilhado com a qualidade da obra e com o seu elegante estilo literário. Através de uma pesquisa minuciosa verifiquei que os fatos e as personagens ali relatados são verídicos e foram confirmados pelos registros históricos. A impressão que me ficou é a de que o autor esteve mergulhado numa altíssima corrente de pensamentos (noúres na semântica ubaldiana) e por isso produziu um excelente texto que reflete a imagem de um escritor talentoso. A este propósito Ubaldi escreveu:

Um livro diz tudo sem o querer, especialmente o que não se quer dizer, pela preocupação de o calar. A miragem que vibra nos olhos do escritor transfere-se para as suas páginas. Quem sonhou glórias, escreverá glórias; quem egoísmo, egoísmo; quem avidez, avidez; quem sensualidade, sensualidade. Mas também aquele que tudo lutou e sofreu pela elevação do espírito — diga o que disser, só falará sobre elevação do espírito. É como uma música de fundo, uma cor predominante, uma psicologia dominante que não se quer, não se improvisa, não se inventa. (P. Ubaldi - Ascese Mística)

Assim, creio que estamos frente a um escritor que, nesta nova obra, continuará a nos surpreender com um trabalho de qualidade superior como demonstrou no seu livro anterior.

Ao longo dos séculos, os homens navegam no rio do conhecimento que se vai alargando a partir de suas cabeceiras. Um simples riacho torna-se um caudal tão imenso que, quem está numa margem não enxerga a outra. Assim, o texto dessa nova obra nos mostra que as limitadas visões dos filósofos e pensadores antigos desembocaram no rio ubaldiano de incomensurável vastidão. No decorrer da leitura do livro, nos é revelado que o edifício do conhecimento foi sendo construído através dos tempos, onde cada construtor foi acrescentando uma parte da obra sem ter idéia de como seria o aspecto final da mesma, Assim, Platão viu a necessidade de uma Causa Primeira da qual a criação se derivou; Aristóteles percebeu o movimento da causa para o efeito. Em linguagem ubaldiana pode-se dizer que Platão entreviu a fase a (espírito) e Aristóteles a fase b (energia). O surgimento da doutrina cristã, no campo religioso, estabeleceu o primado do espírito sobre o mundo.

Mas posteriormente, o desenvolvimento da Física e da Química levaram o entendimento humano a conhecer em profundidade a matéria, ou seja, a fase g. Houve, para nosso espanto, no campo do conhecimento, uma involução se considerarmos a equação ubaldiana:

espírito ---> energia ---> matéria

Esse fato talvez explique por que apesar do avanço indiscutível da ciência, o pensamento humano está cada vez mais mergulhado no materialismo ateu. Pode-se afirmar, observando a marcha do que chamamos de civilização, que se instalou no cerne do pensamento coletivo a descrença em tudo o que é relacionado com as coisas ditas espirituais. Mas, este espanto pode desaparecer se considerarmos o grande ciclo involutivo-evolutivo completo, preconizado por Ubaldi no livro A Grande Síntese. Assim, veremos que a equação acima é parte de um ciclo maior; na realidade, é apenas um semiciclo, isto é, a parte involutiva do grande ciclo involutivo-evolutivo:

espírito ---> energia ---> matéria ---> energia ---> espírito

A trajetória da evolução é cíclica e sempre volta ao ponto de partida, no entanto, há um ganho evolutivo, pois o próximo ciclo será maior. O ciclo é, na realidade, uma espiral de pequena abertura. Este aparente retrocesso nos é explicado por Ubaldi:

A evolução conduz à conquista de novas qualidades, um setor de cada vez. É natural, portanto, que o progresso numa determinada direção anule o que foi realizado em outra. A vida não pode proceder à criação de demasiadas coisas e avançar por diversas estradas ao mesmo tempo. Assim, quando tudo se torna ciência, técnica, trabalho, produção, industrialização e mercado, as qualidades espirituais tendem a atrofiar-se. Hoje, o homem especializou-se na conquista daquele tipo de valores, mas, obedecendo à mesma lei, assistirá à reação representada por uma espiritualização em um plano racional e científico mais positivo e aceitável do que o fideístico atual. (Pietro Ubaldi - Um Destino seguindo Cristo).

Dessa forma, haverá um ponto de inflexão no curso do processo evolutivo e veremos renascer o interesse pelos temas ligados ao espírito e a pesquisa científica redirecionará seus esforços nesta direção. O aparecimento da obra ubaldiana sinaliza a iminência desse transformismo que alcançará todos os setores das atividades humanas, sejam elas econômicas, políticas, sociais, religiosas e sobretudo será constatado que o universo é monístico, não havendo, portanto, separação entre sujeito e objeto. Dessa maneira, o amor ao próximo está na natureza própria do universo, logo, ele não é um adendo a ser acrescentado na ordem das coisas. O amor é, por conseguinte, um sólido pilar que sustenta e suporta a estrutura universal.

Ubaldi cumpriu sua missão nos legando uma obra filosófica que será a bússola que nos orientará nestes novos tempos que hão de advir, trazendo a nova civilização do terceiro milênio prenunciada em muitos volumes da obra ubaldiana. Ubaldi também previu que novos homens divulgarão a verdade; não mais serão mártires cobertos de sangue, nem se assemelharão aos anacoretas de outrora, porém, homens de inteligência e de fé, que difundirão seus pensamentos utilizando-se de moderníssimos recursos, homens que servirão de exemplo no meio do turbilhão de vossa vida. (P Ubaldi - Mensagem da Ressurreição). O autor se enquadra perfeitamente nessa assertiva, pois vem disseminando o pensamento ubaldiano utilizando para isso as mais modernas tecnologias da informação e produzindo, paralelamente, uma obra de grande envergadura como este volume que acaba de lançar.

Pedro Orlando Ribeiro

Pedro Orlando é, na atualidade, o mais ativo e conhecido estudioso da importante revelação de Pietro Ubaldi em nosso meio. Engenheiro civil, escreve artigos e comentários sobre a obra do filósofo de Cristo, brilhantes pela sua clareza, todos disponíveis na Internet. Participante ativo nas trocas de informações, responde a todas as perguntas sobre a obra, via web, onde mantém excelente página para abordagem do tema:

http://www.monismo.com.br/

Tuesday the 12th. . Custom text here