Reforma Íntima

Imprimir

REFORMA ÍNTIMA

A vida aguarda, ansiosa, a tua reforma íntima, pois enquanto permaneces detido no império da inferioridade, não te será possível o ingresso no reinado de paz que tanto almejas.

Deixa que o amor aos semelhantes se torne uma realidade em teus hábitos para que a luz se acenda em teu mundo interior, dissipando as trevas que te ensombreiam a alma.

Dilata o estreito círculo de teu egoísmo, absorvendo em tuas relações afetivas, como verdadeiros familiares, aqueles que se avizinham de teus passos.

Considera filhos teus, os filhos dos demais, e entes queridos, aqueles que cruzam os teus caminhos, pois todos, aos olhos de Deus, são teus irmãos. Alberga em teu coração ainda aqueles que te pareçam antipáticos ou que te feriram no passado.

Perdoa mesmo aqueles que intentaram roubar-te a felicidade ou que demonstram ser obstáculos às tuas realizações provisórias no mundo das ilusões.  

Aproveita as horas vazias para instruir-te de sabedoria, para que te faças rápido um espírito superior.

Não olvides o trabalho salutar que te adestra nas habilidades do espírito.

Nossa verdadeira felicidade consiste em compartilhar a nossa alegria com os demais e não na superação dos valores alheios.

Não envenenes tua alma com o desalento e o pessimismo, pois os momentos difíceis estão ricos de possibilidades para o futuro.

Enfrenta a dor com heroísmo cristão, na certeza de que é tua irmã a resgatar-te, com presteza, dos escuros caminhos da ignorância e do erro, rumo à luz da sabedoria divina e à paz das coisas eternas.

Dispensa da tua vida o supérfluo e abriga-te na simplicidade, pois a verdadeira riqueza consiste em desapegar-te dos bens irrisórios do mundo. Recorda que és usuário dos bens físicos e deves o cuidado de torná-los o mais útil possível para os teus semelhantes, se quiseres de fato a fartura dos tesouros eternos. 

Abriga-te na Lei de Deus e não nos caprichos de tua alma ainda imatura, pois a maior liberdade possível ao espírito está não na execução de todos os teus desejos ainda inferiores e insanos, mas sim na tua entrega à vontade divina.

Estejas certo de que as distâncias que te apartam da luz divina são ainda imensas, por isso não te demores nas sombras em que te comprazes. Ergue e apressa-te. Cala teus lamentos e impropérios. A vida não te doa dores que não mereces e dificuldades que não são úteis ao crescimento do teu ser.

Se seguires estes conselhos que todos os sábios nos deixaram, não haverá motivos para lamentos quando a vida, ao término da jornada humana, convocar tua consciência à colheita da semeadura na vastidão dos campos da vida.

Pensa nisso!

Um espírito amigo

 

Médium: Gilson Freire

Grupo da Fraternidade Espírita Irmão Vítor

Belo Horizonte, 15 de novembro de 2005

Monday the 11th. . Custom text here